Feliz Natal

 


A todos os Ruivanenses espalhados pelo mundo, um Santo e Feliz Natal, na companhia de todos os familiares queridos.




Feliz Natal


 

Pinheiro de Natal

 


2005.12.13.jpg


 


 


2005.12.13 (1).jpg


 


 


2005.12.13 (2).JPG


 


 


2005.12.13 (3).JPG


 


 


À semelhança do ano passado, em que foi feito um presépio de Natal no fundo das escadas da Igreja Paroquial, este ano também não se quis deixar passar esta quadra natalícia sem deixar algo que lembrasse e desejasse um Bom Natal a todos os Ruivanenses.

Assim, o mesmo grupo e mais alguns, puseram mãos à obra e colocaram um Pinheiro de Natal com 12 metros de altura; o trabalho já começou há uns dias atrás, mas só hoje foi tornado publico com a colocação do mesmo em plena praça central da nossa Vila de Ruivães.

A todo o grupo um muito obrigado por nos presentearem com mais esta iniciativa


 

Missa das Crianças

 


05.12.11.JPG


 


 


05.12.11 (1).JPG


 


 


05.12.11 (2).JPG


 


 


 


Já sabíamos que uma vez por mês é celebrada uma Missa das Crianças da freguesia, com elas a ajudar aos cânticos da missa dominical. Enfim, uma missa das crianças e para as crianças. No entanto, só agora houve a possibilidade de registar aqui uma dessas missas, que decorreu hoje na Igreja Paroquial de Ruivães.

Se ainda não tiveram oportunidade de assistir a uma destas missas, não percam a próxima, já no mês seguinte.

 


 

Matança de porco


Apesar de serem em menor numero ainda há famílias que mantêm a tradição da matança do porco. Desta feita fomos convidados para uma que ocorreu no lugar de Frades. Apesar de já não se chamuscar o dito com colmo – agora é com gás – tudo o resto se mantém, por exemplo: que bom que é interromper o chamusco para nos deliciarmos com um pouco de sangue cozido, com uns dentes de alho e azeite – HUM!!! Claro está que a boa pinga da região também não faltou e nesta casa em particular a famosa jeropiga.

Agradecemos o convite e temos pena que para além destas fotos não consigamos trazer outras incidências deste evento tradicional e parte da cultura da nossa região.

Aproveitamos a deixa para dizer que este tipo de tradições não pode acabar.

2005.12.10.jpg

2005.12.10 1.jpg

S. Martinho de Ruivães

 


2005.11.12 (1).JPG


 


 


2005.11.12.JPG


 


 


Demos um salto a casa para relatar "on-line" a Festa em honra do padroeiro que estão a decorrer na Praça da Vila. Sardinhas e vinho não estão a faltar, por isso se ainda tiverem oportunidade ... apareçam.


 

S. Martinho de Ruivães

 


Vai-se realizar no próximo sábado (amanhã) uma festa ao padroeiro da Vila, o S. Martinho.

 


Do cartaz fazem parte dois Ranchos Folclóricos e do menu, as sardinhas, a broa e a tradicional castanha assada, tudo regado com vinhos novos e velhos.




Não deixem de aparecer que nós também não, até para depois podermos relatar aqui nesta nossa página.

 


 


 

Desta feita

 


Desta feita registamos um "link" que merece ser colocado nos favoritos, já que o tema do sítio é a nossa Vila de Ruivães.


 


http://ruivaes.no.sapo.pt


 


Façam uma visita e emitam a vossa opinião.


 


 


 

Resultados eleitorais



Eleitores Inscritos - 948

 



Eleitores Votantes - 664



Abstenção - 29,96 %



A eleição para os órgãos autárquicos da nossa Vila correram dentro na normalidade esperada. Também neste campo se notou um decréscimo de população; tanto que pela primeira vez só havia uma secção de voto.



Quanto aos vencedores e aos vencidos não há muito a dizer; só esperamos que a freguesia de Ruivães seja a vencedora daqui por quatro anos.

 




Resultados eleitorais


Eleitores Inscritos - 948

Eleitores Votantes - 664

Abstenção - 29,96 %

A eleição para os órgãos autárquicos da nossa Vila correram dentro na normalidade esperada. Também neste campo se notou um decréscimo de população; tanto que pela primeira vez só havia uma secção de voto.


Quanto aos vencedores e aos vencidos não há muito a dizer; só esperamos que a freguesia de Ruivães seja a vencedora daqui por quatro anos.



Foto do dia

 


2005.09.25.JPG


 


 


Contrastando com o post da semana passada, desta feita temos que registar uma limpeza num caminho da nossa freguesia que se encontrava intransitável. Começa nos “eucaliptos” e segue serra fora até à estrada que depois nos leva até à Serradela.

Da nossa parte foi a primeira vez que por lá passamos, mas com vistas destas, de certeza que será de repetir.

 


 


 


2005.09.25 (1).JPG


 


2005.09.25 (2).JPG


 


 

Foto do dia

 


2005.09.18.JPG


 


 


A Vila de Ruivães tem destes sítios especiais que bem gostamos e que de vez em quando sabe bem visitar mais uma vez para descansar a mente e depois voltar com as “baterias” carregadas. A Ponte Velha (ou de Pedra) de Ruivães é um desses sítios que vale a pena ser visitado sempre que houver um tempo livre.




Na visita efectuada hoje, deparamo-nos com este cenário que é uma ramada caída para o caminho, impedindo assim a circulação no mesmo, convenientemente.




Não sabemos se fruto do acaso ou obra de algum iluminado – terra fértil para os ditos – mas tentaremos alertar as autoridades competentes para o facto.




Fica aqui o registo, mas acima de tudo a sugestão para uma visita à Ponte Velha de Ruivães; que não seja o facto aqui registado o motivo para não a visitarem.

 


 

Saltadouro

 


2005.09.13.jpg


 


 


Não tem havido notícias de relevo para esta nossa página; primeiro porque a Vila regressou à "normalidade" depois do regresso dos emigrantes ao seu país de acolhimento, depois porque os Ruivanenses continuam a não querer colaborar na feitura desta página.


 


Como num dos últimos post mostravamos a Ponte do Saltadouro e incentivávamos a ida até lá, achamos que é melhor fazer um aviso antes de se meterem a caminho.


 


Sábado passado, quatro turistas de bicicleta ficaram lá retidos, mais propriamente no monte por trás de Vale, devido ao intenso mato que por lá existe. Foram recolhidos cerca das dez da noite pelos Bombeiros de Ruivães, juntamente com a patrulha da Guarda Nacional Republicana.


 


Não queremos que percam a vontade de visitar aquele local que, voltamos a dizer é magnifico, mas nunca é demais avisar.


 


 

Ainda a Ponte do Saltadouro

 


canoagem saltadouro.jpg


 


 


E esta fotografia tirada há cerca de um mês atrás, em plena barragem, de canoa. Uma perspectiva diferente da ponte e do rio!!!


 


 

Saltadouro

2005.08.28 1.jpg


 


 


Nada estava combinado, mas quiseram assim seis amigos Ruivanenses, que às três da tarde decidiram ir até ao Saltadouro dar um mergulho no rio.




Infelizmente o caminho por Frades, que percorre toda a encosta por trás de Vale está intransitável e o melhor percurso tem que ser feito por Salamonde, mais concretamente pelo caminho que começa junto à Capela das Almas do Rio Mau; felizmente, dois desses amigos têm veículos todo-o-terreno e foi rápido chegar ao destino. Mesmo assim ainda houve alguns contratempos, entre os quais um furo no pneu, que não estava previsto.

 


Chegados ao destino, havia que dar uns mergulhos e desfrutar de toda a zona envolvente ao rio, com as suas quedas de água, que neste fim de verão já vão diminutas.




Quisemos partilhar estes momentos com todos os Ruivanenses, em parte, uma vez que era impossível colocar aqui todas as fotografias.




Se lá quiserem ir, não se esqueçam de levar calçado e roupa apropriada porque é preciso.

 


 


 


 


2005.08.28 2.jpg


 


2005.08.28 3.jpg


 


 

Festas de Ruivães

 


2005.08.21 final.jpg


 


2005.08.21 final 1.jpg


 


 


Assim terminaram as Festas de Ruivães, com a caminhada até à Capela da Roca de toda a gente a acompanhar a Banda de Música, seguindo assim uma tradição de longos anos. Foi o culminar de uma actuação da Banda de Riba d' Ave que deliciou todos os presentes.




Pela noite dentro a actuação do conjunto "PBX" (pensamos que é assim que se escreve) e o anúncio da mesma comissão para o próximo ano.




Da nossa parte tudo faremos para cá estar no próximo ano a relatar em cima do acontecimento as Festas de Ruivães 2006.


 

Festas de Ruivães

 


2005.08.21 procissão.JPG


 


 


Ao fim da manhã de domingo, a Missa, celebrada pelo Padre Martinho Araujo e brilhantemente acompanhada pelo Coro Musical da Paróquia de Ruivães.




Depois segui-se a procissão, com o trajecto habitual percorrido pelas principais artérias da Vila de Ruivães.


 

Manhã de domingo

 


2005.08.21 alvoradas.JPG


 


 


A manhã de domingo começou com o grupo "Alvoradas da Cabreira", que apesar de eternamente em re-definições (permitam a crítica), não deixou de alegrar os poucos Ruivanenses que já estavam acordados, bem como os que iam acordando.


 


Uma palavra muito especial, aqueles (muitos) que tiveram a amabilidade de pôr à disposição uns cálices de Vinho do Porto e umas bolachinhas para os Alvoradas da Cabreira.


 


 


2005.08.21 alvoradas (1).JPG


 


2005.08.21 alvoradas (2).JPG


 


2005.08.21 alvoradas (3).JPG


 


2005.08.21 alvoradas (4).JPG


 


2005.08.21 alvoradas (6).JPG


 


2005.08.21 alvoradas (7).JPG


 


 


 

Festas de Ruivães

 


2005.08.20 1.jpg


 


 


Aí estão as Festas de Ruivães 2005!!! Já começaram ontem com a procissão de velas entre a Capela da Roca e a Igreja Matriz, seguidas de cantares ao desafio.




Fora do programa oficial, alguns artistas da terra decidiram presentear os resistentes com um concerto improvisado em plena rua, sem palco nem aparelhagem. Pena é que não haja registos fotográficos dessa passagem.




Hoje pela manhã tivemos a tradicional prova de atletismo desde o Cambedo (Campos) até à Vila. Novos e velhos, mais ou menos preparados, o mais importante, para alguns, foi mesmo participar em mais este evento desportivo, que já é uma referência das Festas de Ruivães.




Algumas fotografias de alguns dos participantes, uma vez que era de todo impossivel colocar aqui fotos de todos os participantes; perto de quarenta.


 


Mas há mais previsto no cartaz das Festas que continuam hoje todo o dia e amanhã.


 


2005.08.20 2.jpg


 


2005.08.20 3.jpg


 


2005.08.20 4.jpg


 


2005.08.20 5.jpg


 


2005.08.20 6.jpg


 

Passeio B.T.T.

 


2005.08.14 11.JPG


 


 


A uma semana das Festas de Ruivães, o pessoal do Ruivães Ciclo Club realizou um passeio ao S. Bento da Porta Aberta. Ao que parece, tudo correu bem, mas podem comprovar isso no seu sítio oficial em http://ruivaescc.blogs.sapo.pt


 


A propósito das Festas, em breve será aqui colocado o programa oficial.


 

Ponte Nova: Frades - Cabril

 


 


2005.08.06.JPG


 


 


Já está em fase de conclusão a nova Ponte de Frades para Cabril. Faltam ultimar os acessos, para a inauguração esperada antes de Outubro.




Esta ponte ansiada pelas populações das duas margens, há mais de 50 anos, vai ser um pólo dinamizador do turismo por estes lados.


 

Central de Frades

001d7y5w



001d85yq



001d9eea



001da0ex



001dbd0s



001dcdzb



001ddpqc



001de9aq






«Encontra-se em fase de conclusão a obra do Túnel de Frades, ou melhor, o aproveitamento hidroeléctrico de Venda Nova II, altura ideal para uma visita guiada por quem lá trabalha.

Não foi uma visita vulgar, pois o senhor é entendido e soube explicar muito bem o funcionamento daquela que é uma das maiores obras publicas efectuadas em território nacional.

Na impossibilidade de relatar aqui toda essa visita, ficam apenas algumas fotografias lá tiradas.»



Para ver o resto da notícia, aqui.

Tradições


2004.11.27 007.jpg

Temos estado ocupados, mas não podíamos deixar de mostrar nesta página o cumprimento de uma tradição, que foi a passagem da Banda de Vilarchão pela Vila de Ruivães, no passado dia 11 de Julho.
Quanto à tradição em si, podem saber mais sobre ela nesta mesma página, há um ano atrás, essa sim, em devido tempo.

2004.11.27 006.jpg

Reviver o passado em Ruivães

Reviver o passado em Ruivães




 


Cont. da penúlt. edição




 


 




 


Para mim, porém vejo essa agressividade da Natureza com um tom de beleza carregada de mistério sim, mas bela na mesma pela imponência daquela cordilheira que cresci a admirar, e que da janela de minha casa espreitava quando ainda nem ao parapeito chegava. No Inverno então, quando a neve cobria a serra, pensava para mim que o Paraíso era ali!




 


Voltando ao meu observatório, à minha esquerda não me nos imponente, a serra da Cabreira verdejante como sempre, com o “Tôco” lá no alto, pertinho do Céu, qual cortina coloca da pelo Criador para protecção de Ruivães que se aconchega no seu sopé.




 


Completando o cenário, destaca-se ao fundo o lugar de Vale, já que Ruivães não se avista, e o Cemitério onde descansam os meus antepassados. Essa é a visão que mais me choca, mas evito pensar nisso, antes me embrenho nos outros trechos da paisagem.




 


Estendo-me sobre o rochedo, banhado pelo sol, fecho os olhos e aspiro o meu cachimbo deixando o pensamento retroceder no tempo, cinquenta anos atrás, até à minha infância vivida nesta aldeia.




 


Nessa altura, calcorreava os caminhos entre campos que me conduziam até aqui, em busca de ninhos, aos “choteiros” no tempo deles, ou simplesmente numa peregrinação em busca do desconhecido, pois acabada a escola, nada fazia e tinha de matar o tempo de qualquer forma.




 


Lembro-me destes campos tão férteis, onde se cultivava o milho, feijão, batata, etc. Hoje são matagais intransponíveis, imperam os fentos e as silvas.




 


Lembro-me da chiadeira dos carros de bois e dos gritos de incitamento aos pobres animais, que arrastavam pesadas cargas por estes caminhos de piso tão irregular, castigados ainda por cima por desumanas vergastadas e aguilhoadas. Mas tinha de ser, era a lei dos homens. Hoje nada define esses caminhos, intransitáveis, carros de bois já não há e até gado é uma raridade.




 


Tudo está diferente, agora é o silêncio que impera na vida campesina. Já não há desfolhadas nem vindimas com cânticos que enchiam estes ares de alegria, se vê vivalma, parece que os pássaros abalaram e não mais voltaram.




 


Lá no fundo, passa a estrada e é o ruído dos carros o único som que escuto nesta queda melancolia. Passam numa correria descrevendo as curvas como ranger dos pneus, e isso me faz voltar à realidade e concluir que este nada tem do Ruivães do meu tempo.




 


Tudo está diferente, mais civilizado, o progresso tomou conta da aldeia, mas nada disso me cativa. O que amo nesta aldeia, são os campos mesmo sem cultivo, a serra da Cabreira ainda que desfigurada por inestéticas hélices lá no alto, o rio, a pureza do ar que ainda por aqui se respira, mas o que mais amo ainda, é recordar a minha infância aqui vivida, e só por isso esta será sempre a ditosa terra minha amada.




 


Um dia parti, sem saber quando voltava, ou se voltava mesmo, pela graça de Deus voltei e voltarei enquanto o Criador o entenda, e com Ele fiz um pacto, de um dia voltar para não mais partir!




 


 




 


Manuel Joaquim F. Barros

ADSL

Temos o prazer de informar todos os Ruivanenses que após o próximo dia 18, já será possivel aceder à Internet na nossa Vila, através da linha ADSL.




Não sabemos se teve alguma coisa a ver com a nossa petição, mas mesmo assim, podemos dizer que valeu a pena.


 


A todos os que se interessaram por esta causa, o nosso Obrigado


 


 

Rio de Ruivães - "Traves"

 


2005.07.09.JPG


 


 


2005.07.09.1.JPG


 


 


2005.07.09.2.JPG


 


 


 


Triste cenário este que encontramos desde há vários dias no rio de Ruivães, mais propriamente, onde as mulheres iam antigamente lavar a roupa. Ao que tudo indica estão a preparar a construção de uma presa, falta saber com que utilidade.

Esqueceram-se é que o rio assim vai negro com a terra e logo na altura de banhos.

Até esta hora ainda não conseguimos saber quem foi o "iluminado" empreendedor, mas depois daremos conta.