"Maracanã"

 



Traves





 

Lagar de Azeite



 

Refastelado


 

Galinha da Índia com arroz



 

Pardinho 2021






No passado dia 21 de Agosto, um grupo de consortes da Levada do poço Longo, de Ruivães, Vila, Vale, Quintã e da Botica, que teimam em não deixar morrer a tradição, uniu-se no lugar das Cruzinhas, perto de Caniçó e Linharelhos, no limite dos concelhos de Vieira e Montalegre, para viver o Pardinho.
De acordo com a tradição, no Pardinho «os compartes, “de sachola e de farnel”, vão até ao Rebolar e à Senhora dos Aflitos, situados na bacia de recepção da Ribeira de Lamas que, a latitude da Chã de Coelhos, passa a ser o Rio da Lage. Todos os regos são então canalizados para a levada, já que estas águas lhes pertencem por ordem do tribunal» (fonte: www.ruivaes.com).
Dali saídos, o grupo de 15 interessados e trabalhadores dividiu-se em 3, seguindo cada um o seu trajeto. De sacholas em riste, seguiram a levada, repondo o seu curso, abrindo o que havia sido obstruído pelo normal fluir da água ou por mão humana que a desviou.
Debaixo de altas temperaturas, monte acima, de pedra em pedra, caminho após caminho e através de campos agrícolas, os bravos trabalhadores não pararam até ter todo o trabalho feito, orgulhosos e interessados por aquilo que é nosso e faz parte do legado dos nossos antepassados.
Já se fazendo tarde e com o estômago a dar sinal, os 3 grupos encontraram-se no local do merendeiro, onde outros membros das respectivas famílias os esperavam com os melhores petiscos para estas ocasiões. Com as mantas estendidas no chão deu-se início ao tão aguardado merendeiro.
Após o repasto, seguiram todos em direção à Botica e Ruivães. A grande maioria fê-lo a pé. Homens, mulheres e crianças de tenra idade, seguiram por Caniçó e Linharelhos, até chegar ao Carvalhal do Esporão, em Lamalonga. Aí chegados, nova paragem para afagar a fome e a sede.
Saídos dali e agora já nas viaturas que acompanhavam a comitiva, seguiram para a Botica, onde na Lameira fizeram nova paragem para repetição do ritual.
A partir daqui seguiram até ao lugar do Arco, para nova paragem junto à EN103.
Por fim, em direção ao Largo da Vila, em Ruivães, seguiram os resistentes, a pé, brilhantemente acompanhados por alguns elementos dos Alvoradas da Cabreira, grupo que já faz parte da tradição deste evento. Deu-se assim por terminada a edição de 2021 do Pardinho.
Está de parabéns o grupo de Ruivanenses que teima em repetir, e bem, esta tradição ano após ano. De salientar a participação de elementos jovens, não só no trabalho como no merendeiro, o que provou que a juventude não ignora as tradições e faz questão de as reviver em família, respeitando-as e prolongando-as no tempo.
“Ao Pardinho,
Ao Pardinho
Levem as merendas
Que nós levamos o vinho”

Paulo Miranda
2021-08-31