terça-feira, 31 de janeiro de 2012

segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

sábado, 28 de janeiro de 2012

Espindo






Espindo é uma pequena localidade com cerca de trinta habitantes localizado no minho interior a cerca de 40kms de Braga sendo sede de conselho Vieira do Minho. Desconhece-se a data precisa da formação da aldeia, mas a casa mais antiga de que há registo data de 1697. Presume-se que Espindo conta com pouco mais de 400 anos enquanto aglomerado. O local onde hoje é Espindo reunia condições favoráveis para desenvolver actividades agro-pecuárias de subsistência e distava pouco do principal centro de decisão regional, Vilar de Vacas (actual Ruivães), que era vila e sede de concelho na época. Mais tarde, na primeira metade do século XX, tornou-se numa das aldeias que figurava na rota do volfrâmio, tal como Zebral, o que começou por atrair muitos forasteiros e que por ali acabariam por se estabelecer definitivamente.








Modo de subsistência

Desde sempre, a actividade predominante na aldeia foi, e continua a ser, a agro-pecuária, hoje reduzida praticamente à criação de gado. Aliás, estas duas actividades -agricultura e pecuária sempre foram indissociáveis para os habitantes desta terra, pois os animais tinham uma dupla função: de alimentação (leite e carne) e de força de trabalho (para a agricultura, construção e transporte de cargas pesadas, no caso do gado bovino). Do mesmo modo, também certas práticas agrícolas eram concebidas a pensar na alimentação dos animais para a época de piores pastagens.


Esta relação homem/animal era de tal ordem próxima que os próprios currais chegavam a ser construídos mesmo dentro das próprias casas de habitação, quer por uma questão de protecção contra predadores selvagens, como lobos e raposas, quer por uma questão de logística e funcionalidade. Actualmente, além da criação de gado, ainda existe alguma produção de vinho verde, de batatas e de milho, em pequena escala e apenas para consumo próprio, mas mantendo muitas das tradicionais técnicas de fabrico. Por exemplo, ainda é possível assistir a pisadas de uvas com os pés, à malha do centeio em eiras de pedra e à moagem de milho em azenhas movidas a água.

A religião também desempenha um papel importante no quotodiano da população. As pessoas chegavam a organizar o seu trabalho no campo em função do calendário católico. Nos "dias santos" não se trabalhava a terra e aproveitava-se para descansar, ir à igreja e fazer romarias. Em Espindo as pessoas são devotas de diversos santos, mas venera-se, sobretudo, Santa Isabel, a padroeira da aldeia e ao qual a sua capela deve o nome.




Excertos do programa "Tardes da Júlia" emitido na TVI em 2009 e disponível nos seguintes endereços:






Capela Nossa Srª dos Remédios (interiores)



sábado, 7 de janeiro de 2012

quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Festas de Ruivães 2002





Comissão de Festas: José Fernandes, Paulo Miranda, Carlos Marques e José Melo (da esquerda para a direito)




Nos anos 2002 e 2003 tive oportunidade de juntamente com o Zé, o Zé Melo, e o Carlos, fazer parte da Comissão das Festas de Ruivães. Foram dois anos muito bons e de onde germinaram algumas das ideias que deram origem a este espaço.

São algumas das fotografias tiradas nesse primeiro ano que agora aqui se vão publicar ao longo deste 2012, sempre à quarta-feira e a esta mesma hora, quando passam dez anos sobre esses tempos ...


Paulo Miranda

Ponte dos Lagos



Cantar das Janeiras, por Genny Merck





Cantar das janeiras pela comissão de Festas 2012

domingo, 1 de janeiro de 2012

Zebral



Bom Ano!!!



Com este vídeo de parte do fogo de artifício de sábado à noite da Festa de Ruivães 2011, queremos desejar a todos os ruivanenses e simpatizantes desta página, um BOM ANO 2012, cheio de saúde, alegria e concretizações.