Debaixo da varanda

002wr03y

RUIVÃES - Proximidades

Fala-se muito de politicas de proximidades, enquanto a desertificação vai avançando. A maior dor de cabeça é a falta de dinheiro, porque a maquia quase total vai para o litoral e as grandes cidades, enquanto o interior pena a mendigar. Falta também muita imaginação.

Há dias, num café da nossa terra, alguém disse que apesar da extensão do Centro de Saúde, da “filial” dos Bombeiros de Vieira, da estrada pela Cabreira, alcatroada pelo actual executivo, e da estrada e ponte que nos liga, em Frades, às freguesias de Cabril e de Ferral e suas aldeias do concelho de Montalegre, Ruivães não tem um projecto que a transforme num segundo centro do concelho vitalizador e dinamizador de um progresso, numa politica que nos aproximasse às restantes freguesias vieirenses da zona e ao concelho vizinho, estudando e realizando um projecto comum Outra pessoa avançou, nessa conversa animada, que nem a riqueza da história da freguesia serviu para “uma pega de frente” para arrancar a nossa terra de um marasmo doentio e mortal, à medida que vamos envelhecendo e ficando cada vez mais sós. Em jeito de conclusão, um outro conversador sugeriu que talvez o bicentenário das invasões francesas nos faça acordar para essas realidades. E acrescentou acreditar que, tendo Ruivães um presidente de Junta jovem e dinâmico, embora prisioneiro da escassez de meios, algum dia se arranque, no mínimo, para uma reflexão sobre o nosso futuro comum. Aqui fica a sugestão: Vamos todos pensar no amanhã! 

Um Ruivanense

2008-02-28



Imagens de hoje como antigamente

00378p36


 


 


00379q0s


 


 


0037d926

Caminho de Frades para o Saltadouro












Numa das últimas incursões pedestres que visava rever campos e coutadas que há muito não via, deparei-me com algo que me entristeceu, tal como quem me acompanhava.
Há algum tempo, foram vendidos alguns eucaliptos no caminho que liga Frades ao Saltadouro, muito próximo do barco. O madeireiro fez o seu trabalho, no entanto fez o "favor" de deixar a lenha que não interessava no caminho, para além de danificar diversos muros. Acontece que os proprietários ficaram com o prejuízo.
Penso que não são apenas os danos causados aos proprietários que estão em causa, mas sim os de todos. Como diz Moliére "Não somos responsáveis apenas pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer." , todos  deveremos preservar o que muito custou a erguer e "obrigar" os outros a fazer o mesmo.
Talvez estas imagens sirvam de exemplo para que todos possamos estar mais atentos ao "descuido" de alguns.

Nuno Gonçalves

Lagar do Azeite

002w7pw7


 


 


002w8ahz


 


 


002w98pe


 


 


 


Fica junto ao rio, no "Traves, e há muito que está desactivado.

Foto do dia

 



 


 


Hoje à tarde uma volta por Zebral e uma breve entrada na Cabreira, com algumas boas fotografias que serão publicadas aqui mais para a frente.


 


Boa semana a todos!


 


 


 


Aditamento: as fotografias referentes à incursão na Cabreira podem ser vistas aqui.


 

Sem nostalgia

 



 



 



 



 


Hoje ao final da manhã andei por onde costumava brincar quando era miúdo.


 



 


E tal como nessa altura o regresso a casa foi feito em cima do muro do adro.

Resultados eleitorais da nossa Vila

 


As eleições legislativas do passado dia 20 de Fevereiro, tiveram os seguintes resultados:


 


- eleitores inscritos 961


- votantes 555 (57,75 %)


 


Estes são os resultados que verdadeiramente interessam e que nos permitem chegar a mesma conclusão de sempre; a saber, estamos a perder população de ano para ano.


 


O facto da abstenção ser mais alta do que a de nível nacional (35 %), pode ainda querer dizer que os cadernos eleitorais contêm gente que já morreu, o que aumenta o drama.


 


Como sempre na nossa Vila de Ruivães, as eleições correram dentro da normalidade esperada.


 


 

Parque eólico da Cabreira

002wf5dd


 


 


002wg9wf


 


 


002whhb4


 


 


002wk047


 


 


002wpkre


 


 


002wq1pg


 


 


 


Para ver estas fotografias em tamanho aumentado, aqui.

Os bancos da Aninhas



Um post dedicado a: Mário Cunha - não sabia que era tua madrinha de baptismo, mas não me espanta mesmo nada, sendo ela quem foi!; ao Carlos, ou "Cousin" para os amigos - as pedras negras é por causa dos pingantes da chuva.

Tirei esta fotografia anteontem porque as outras tinham saído muito escuras.

O rio vindo da serra

 



 


 


O Rio Saltadouro vindo da serra, mais concretamente das Cruzinhas, por onde se andou hoje.