«A Festa da minha Aldeia!»

ESPINDO – A Festa da minha Aldeia!

Claro que a nossa Festa é um factor agregador da Aldeia, já que muitos dos seus naturais não residentes aproveitam essa data para regressarem à terra, para rever a família e os amigos e para agradecer a Santa Isabel as graças concedidas!
Todos os anos, e já lá vão muitos, que acordo pela manhã com os estrondos dos foguetes a lembrar que é dia de Santa Isabel.
É impossível não me lembrar deste dia, porque esta festa traz-me sempre boas recordações, principalmente da minha meninice.
Tal como anteriormente divulgado, a festa deste ano teve o seu início no dia 5 de julho, sexta-feira. Às 21 h, como previsto, realizou-se a Procissão de Velas, não sendo este, habitualmente, um dia ainda muito forte, pois muitos conterrâneos vêm à terra de fim de semana e vão chegando aos poucos, já pela noite dentro.
No sábado realizam-se as mil e uma tarefas relacionadas com a festa, para no final do dia o conjunto - este ano o Calhambeque -, animar o baile que se veio a prolongar pela madrugada fora.
No domingo, dia destinado à vertente religiosa, o destaque vai para a missa e procissão, num cenário magnificamente decorado, com a procissão a percorrer o circuito já habitual pelas ruas da aldeia, os cinco andores decorados onde descansam os santos da nossa capela, a encher a vista das gentes, perfumando o ar; a banda de música de Vilar Chão que acompanha num compasso ritmado a procissão, toca músicas adequadas à cerimónia.
Durante os três dias de festa, houve animação, e o público, mas especialmente os imigrantes naturais e seus familiares, marcaram entusiasticamente presença, sobretudo durante a noite de sexta-feira, sábado e domingo de manhã, uma vez que a missa teve, infelizmente, o seu início alterado das 11h, como secularmente é tradição, para as 15:00h, a que se seguiu a procissão. Esta alteração teve grande impacto negativo para umas dezenas largas de confessados, já que não permitiu a sua participação na procissão e muitos outros mesmo no momento alto da Festa, já que para muitos naturais e seus familiares havia que encetar a viagem de regresso às suas residências, com largas dezenas de quilómetros para percorrer.
A Festa de Santa Isabel tem sido e ainda é muito participada, principalmente por gentes que dos vários cantos do mundo acorrem à sua aldeia natal, pelo que há necessidade de repensar este novo horário da missa, já que o grande e mais importante objectivo desta festa é honrar a Santa e promover a festa de convívio, fundadas na tradição e no sentimento de fidelidade às raízes!
A Festa de Santa Isabel faz-me recordar o que é a Saudade , invadindo o coração e fazendo deslizar no rosto as lágrimas impregnadas das emoções de quem ama de verdade a sua querida aldeia.
Saudade das saudades das festas dos anos passados da aldeia de Espindo!

Guilherme Gonçalves (Casa do Brás)






Para ver outras fotografias e vídeos sobre esta Festa de Espindo também enviados pelo Guilherme Gonçalves, carregar aqui e aqui.

Comentários