s/t




Comentários

Anónimo disse…
Eis o que resta daquilo que em tempos foi um telhado e que hoje não passa, infelizmente, de uma porção de madeira podre e telhas destruídas.
Gostaríamos todos de ver este património devidamente recuperado e, se possível, habitado.
Afinal, nos grandes aglomerados urbanos as pessoas acotovelam-se e não têm qualidade de vida.
No interior vive-se melhor, com água pura, bons ares e são convivência interpessoal.
Desde que sejamos inventivos e tenhamos imaginação, também por aqui se podem criar micro empresas e as pessoas podem honestamente ganhar a sua vida.
Ainda espero ver a Picota e todo o casco histórico de Ruivães devidamente recuperado e habitado.
Ruivanense Adoptivo