«Vindima em Espindo»





Quem disse que em Ruivães, ali na fronteira com o concelho de Montalegre, Baixo Barroso, não havia vinho nacional e que o “americano” só chegava à Vila da Ponte? Na verdade, na aldeia de Espindo, um lugar da freguesia da antiga Villar das Vaccas, que tinha Julgado de Paz, subordinado à Comarca de Montalegre, produz bom vinho verde? A prova está na vindima que ali se voltou a realizar em 8 de Outubro, logo a seguir aos dias da Feira da Ladra.
O evento não teria direito a notícia, já que o mesmo nada de especial acrescenta de ano para ano, não fora o facto de ano após ano, se promover e recriar na companhia de muitos amigos esta tradição da Casa do Brás. 
As uvas são apanhadas num só dia, o que só é possível com a muita energia humana, tornando a jornada, ainda que cansativa, em festa de convívio e animação. 
A alvorada dá-se às 7:00 da manhã, para cerca das 8:00h se começar a faina da apanha que este ano durou até perto das duas da tarde! 
As uvas são transportadas no tractor para junto do lagar, sendo de seguida deitadas no ralador (máquina elétrica que as esmaga), facilitando o tarefa “do pisar do bagaço” que só acontece mais tarde. 
Para corporizar esta tradição de trabalho manual que consiste na selecção e corte das uvas, transporte para o lagar, almoço convívio e ao final do dia, a pisa a pé das melhores uvas, temos sempre contado com familiares e amigos, oriundas de várias quadrantes, que juntos no suor do bom trabalho físico, da alegria e energia positiva, contribuíram para um vinho que será único… a saborear nos próximos meses…com vinhos partilhados de amizade, rendidos às coisa boas da vida.

Guilherme Gonçalves (Casa do Brás – Espindo)
2016-10-27

Comentários