Um jornal de parede só p'ra vocês

Abri, por acaso, um Blog de Vieira do Minho (suponho que é feito por alguém da chamada esquerda pelos conteúdos visionados e pelo estilo. Mas assumo que não tenho nada contra a esquerda ou contra a crítica desde que elas sejam construtivas.

Mas deixem-me que aqui faça um reparo: -continuamos a não perceber nada de política e a engendrar as vingançazinhas a quem não é da nossa cor. Há pessoas que vão para a “praça pública” denegrir o bom-nome de quem até diz umas quantas verdades que assentam que nem uma luva, sem pejo nenhum, sem critério nem valores, não olhando a meios para atingir os fins. Sabem que atentado ao bom-nome é crime punido por lei? É caso para perguntar:- ética por onde andas? E o que mais me continua a desiludir é a hipocrisia e o fingimento, a mentira e complô, com que damos de caras todos os dias na nossa Vila, Aldeia, Emprego…em todo o lado, com estes males da alma e do coração do ser humano e dos grupos sociais entrosados em esquemas maquiavélicos. Eu esperava melhor, muito melhor, de quem se diz democrata, de direita ou de qualquer dos lados, mas tenho a certeza de que, não há praticamente ninguém que se aproveite. Os partidos estão mesmo todos “aos bocadinhos”– parafraseando alguém. A partidarite escaqueirou e quem quiser ser eleito tem de se apresentar fora do contexto dos partidos porque os eleitores votam em pessoas e não nas chefias ou nos membros. O nosso Parlamento merecia ser dissolvido, a Constituição revista, o modelo de regime alterado. O país bateu no fundo por causa dos “comedouros das bestas” estarem sempre cheios e enriquecidos de ração. Tudo isso enquanto os mais pobres sempre raparam as sobras dessa “malta”. Portanto, caros bloguistas e visitantes de “esquerda”, sem ofensa para os vossos credos ou ideologias, façam a opção de não usarem o insulto e o achincalhamento de quem até faz alguma coisa por Vieira (por exemplo, o Jornal de Vieira, que antes da INTERNET, era o único órgão oficial conhecido e lido no Concelho e arredores, e que levou uma mensagem de esperança aos quatro cantos do mundo). Orgulho-me de ser colaboradora do Jornal, sempre fiz as minhas críticas que nunca foram censuradas, nunca recebi um tostão pelos bons artigos que escrevi (opinião dos leitores) e presumo que outros o farão como eu, e escolhi colaborar por ser um Jornal Regional Católico e da minha terra (também o fiz noutros locais por onde passei enquanto exercia a minha actividade, dentro da mesma inspiração cristã), opção que já vem de longe no tempo… Meus caros bloguistas que não gostam do Jornal de Vieira, como em todas as coisas: quem não gosta não come; mas não estraguem aquilo que é, de certeza, absolutamente necessário para outros. E se acham que faziam melhor, invistam num jornal de parede só p’ra vocês todos porque esse tem a vantagem de se poder apagar e não comprometer ninguém. Os escritos fazem história e neles se empenham pessoas que dão a cara e que têm, no mínimo, essa elevação! Boas Férias. 


 


Linda da Serra

2008-07-30


 


Artigo retirado d' O Jornal de Vieira836 de 1 de Agosto de 2008.


 


 

Comentários

Ruivanense Adoptivo disse…
Subscrevo na íntegra a opinião de Linda da Serra, tão bem expressa neste texto que nos deve servir para meditação.
Afinal, cada um é livre de pensar pela sua própria cabeça e todos temos o direito de publicamente manifestarmos a nossa opinião mas... sempre dentro dos limites da boa educação, da decência e do respeito pelos outros, daqueles que não pensam como nós ou que pensam o antagónico daquilo que é o nosso pensar.
Na net , como noutros locais, há quem se sirva da capa do anonimato para denegrir o próximo, para ofender e achincalhar... segundo lhes dá na gana.
O Jornal de Vieira é um órgão de comunicação social muito respeitável, com um bom conteúdo e que muito tem contribuído para a união dos vieirenses, independentemente do local onde vivam e de outros factores circunstanciais que agora não importam.
Vieira do Minho e o seu concelho muito devem ao Jornal de Vieira; mas aos escribas de serviço no tal blog, de certeza que a comunidade nada deve de bom.
Admiro a atitude de coerência e de coragem de Linda da Serra, cuja escrita muito aprecio pela sua clareza, frontalidade e elegância também.
Os blog's deviam servir, como este, para divulgar o bem e o belo da vida. Fazer o contrário, é não saber usar os bens que temos e só revela o carácter de quem assim age.