...

 



 

Comentários

ermelinda silva disse…
Do outro lado do rio, sempre bela e torneada de arvoredo.
É o lado que os banhistas conhecem melhor! O lado da descida para o paúl dos moínhos e do antigo lagar de azeite e para a represa do banho (nada que chegue ao poço das traves).

É a paisagem mais natural e pura que tem Ruivães. Ali, longe das bocas de forno, a ouvir a água cantar de pedra em pedra em pleno verão ou em redemoínhos violentos no Inverno, é ali que se sente com maior intensidade o pulsar da natureza-mãe!

Até porque a descida é razoável e não aceita certas idades ou pessoas com problemas de reumatismo. É um ambiente selectivo se retirarmos os putos que charqueiam desordenados e os cães que para ali também vão bronzear.

Mas todos fazem parte da paisagem e há recantos para todos os gostos.

Debaixo da ponte, do outro lado no rio, escreve-se e lê-se, joga-se às cartas, convive-se, conversa-se a vida, faz-se silêncio, dorme-se...

É reconfortante!

Esta foto vem motivar a visita!