...

 



 

Comentários

Ruivanense Adoptivo disse…
Se no Alentejo a cal é característica no rebocar das paredes, no Minho é a pedra que é Rainha e Senhora das frontarias e esta casa - belíssima - é um bom exemplo da beleza das cantarias minhotas
ermelinda silva disse…
Nem de propósito! Aqui está a Casa da Cultura, onde passaram gerações e gerações de pessoas ...
Será uma grande oportunidade da actual Junta deixar este lugar e ocupar a Casa da D. Aninhas, quando estiver erguida, a fim de que este seja legitimamente a Casa da Cultura.
Para a população Ruivanense este espaço é o ideal e nunca o será qualquer outro que, só por utopia pode ser proposto!
Ruivães está a morrer por falta de pessoas; projectos megalómanos é o que não falta. Mas este, parecia-me excelente para dosear as propostas de cultura que se apresentam escassas e episódicas, sem qualquer métodologia ou didactismo.
Ruivães tem vivido do improviso; é preciso passar do improviso, ao saber-fazer com ciência, com conhecimento, ultrapassar o plano do senso-comum.
Mas nunca devemos começar por subir alto porque podemos vir a cair no mais baixo, como diz o povo:"quem ao mais alto sobe, ao mais baixo vem cair".
É preciso saber ensinar e ter aprendizes que gostam de aprender!

Fica a suagestão para quem manda e decide de acordo com a autoridade que possui para tal.
jfaz disse…
Obrigado aos Presidentes de então, na Câmara, engº. Travessa de Matos e na Junta, Sr. Guilherme Santos.
Foram eles os autores das obras de remodelação deste Edifício que, há uns bons anos, tem servido como Sede da Junta de Freguesia.
Depois da retirada desses dois obreiros, tudo se manteve, incluindo a Sede da Junta de Freguesia!...
Jfaz.
terradesantamaria disse…
Alguém que sou eu mesma, já disse isso várias vezes e com assinatura.

JVFAZ disse…
Também não tenho qualquer problema em assinar, senão veja; JFAZ, representa Jorge Fernandes Azevedo e JVFAZ representa o meu nome completo, Jorge Vilar Fernandes Azevedo.
Já agora, terradesantamaria?
Cumprimentos